Minas On-line
Ir para o menu| Ir para Conteúdo| Acessibilidade Alternar Contraste | Maior Constraste| Menor Contraste

Secretaria de Estado de Turismo de Minas Gerais - SETUR

natureza.jpg Dúvidas Frequentes Links Mapa do Site Fale Conosco Ajuda Secretaria de Turismo do Estado de Minas Gerais

Maria da Fé

PDFImprimirE-mail

Conheça outros destinos de Minas Gerais  

CIRCUITO TURÍSTICO CAMINHOS DO SUL DE MINAS

BREVE HISTÓRICO

Artesanato A cidade mais fria de Minas recebe os visitantes com muito calor no coração. Comida da roça, moda de viola. Gente de bom coração. É muito fácil amar Maria da Fé. A paisagem é montanhosa, a vegetação tem predominância de pinheiros. Sua maior produção e força econômica é a batata, para semente ou consumo. A origem da cidade está ligada a uma piedosa senhora chamada Maria Vilas Boas Machado, conhecida nas redondezas por Maria da Fé, que era proprietária da imensa Fazenda dos Campos. Ao redor da fazenda, foram surgindo casas de meeiros, negros forros e agregados. Assim, o núcleo formado pela fazenda e casas ficou conhecido por Campos de Maria da Fé. Pela lei nº 998, de 27 de junho de 1859, foi criado o Distrito de Campos de Maria da Fé, pertencente a cidade de Cristina. Somente em 30 de agosto de 1911, criou-se o município de Maria da Fé.

Hoje, Maria da Fé tem uma grande vocação para o turismo rural e o ecoturismo devido ao ambiente acolhedor da região e das belas fazendas, a ótima gastronomia, às cachoeiras e matas e ao Pico da Bandeira, não confundir com o Pico da Bandeira localizado no Parque Nacional do Caparaó. A Fazenda Experimental da Epamig, com lago, vegetação exuberante e um viveiro de mudas variadas é mais uma atração turística do município.

Os eventos também já movimentam a cidade. Alguns, além de envolverem toda a comunidade, atraem turistas, a exemplo do Festival da Viola realizado em agosto, a Festa do Peão Boiadeiro e a Noite do Livro. Manifestações populares como a Folia de Reis, a Dança de São Gonçalo e a Catira mantêm vivas as ricas tradições de Maria da Fé. O artesanato, criativo e em franca evolução, encontrou na fibra das folhas da bananeira diferentes formas de proporcionar lindas lembranças utilitárias e ornamentais aos turistas. No que se refere à culinária, uma boa dica é experimentar o principal prato típico, a Canjiquinha, ensopado de farelo de milho engrossado com batata e costelinha.

A vantagem de Maria da Fé é que devido ao clima serrano, à hospitalidade do povo e à tranqüilidade, a cidade é gostosa de se visitar o ano inteiro. Para os amantes do inverno, melhor ainda nesta estação, quando as temperaturas caem bastante e estimulam um turismo diferente .

 

ATRATIVOS NATURAIS:

Cachoeira Véu de Noiva: estrada velha de Itajubá – 4 km
Pico da Bandeira: estrada de Pedra Preta – 5 km
Fazenda Experimental EPAMIG: Tel: 3662-1227
Fazenda Pomária: 5 km
Cachoeira do Cafundó: Zona Rural Cafundó 

 

ATRATIVOS HISTÓRICOS / CULTURAIS:

Igreja Nossa Senhora de Lurdes: Praça Nossa Senhora de Lurdes

 

EVENTOS:

Aniversário do Município: Junho
Exposição Agropecuária: Setembro
Festa de Nossa Senhora de Lourdes: Fevereiro
Festa do Folclore: Agosto
Festa do Peão Boiadeiro: Novembro
Festival da Viola: Agosto
Noite do Livro: Outubro ou novembro

 

SETUR|
Rodovia Papa João Paulo II, 4.001  – Prédio Gerais,11º Andar - Bairro Serra Verde,CEP: 31.630-901 - BH, MG -
Telefones de contato
Todos os direitos reservados - Aspectos legais e responsabilidades