Minas On-line
Ir para o menu| Ir para Conteúdo| Acessibilidade Alternar Contraste | Maior Constraste| Menor Contraste

Secretaria de Estado de Turismo de Minas Gerais - SETUR

bem-estar.jpg Dúvidas Frequentes Links Mapa do Site Fale Conosco Ajuda Secretaria de Turismo do Estado de Minas Gerais

Minas conquista 50 medalhas em concurso de queijos na França

PDFImprimirE-mail

02-mondial-du-fromage-2017-benjamin-dubuis

Produtores de queijos do Brasil voltam para casa com 56 medalhas conquistadas no “Mondial du Fromage et des Produits Laitiers". Destas, 50 foram para o estado de Minas Gerais. A 4ª edição do concurso foi realizada entre os dias 2 e 4/6, na pequena cidade de Tours, região central da França.

 

As iguarias foram apresentadas para 135 juízes especializados. Ao todo, 952 produtos de 15 nacionalidades diferentes. Os queijos brasileiros fizeram bonito e quatro deles levaram o selo Super Ouro, a categoria máxima do concurso. Além disso, seis foram classificados como Ouro, 23 Prata, e 23 como Bronze.

 

Entre as regiões produtoras premiadas em Minas Gerais, destaque para a Serra da Canastra, que acumulou 24 das 50 medalhas mineiras. Três medalhas em Delfinópolis, uma em Medeiros; uma em Bambuí e 17 em São Roque de Minas. Os três queijos mineiros premiados com Super Ouro são:

 

1- Santuário do Mergulhão Curado. São Roque de Minas. Produtor Silmar de Castro Mota

2- Queijo Vale do Gurita. Delfinópolis. Produtor Arnaldo Adans Ribeiro Pinto

3- Canastra do Ivair. São Roque de Minas. Produtor Ivair José de Oliveira

 

Já na categoria ouro, conquistaram medalhas o Mineirinho, de Araxá, Rancho 4R (180 dias), da Canastra, Fazenda Bela Vista (60 dias), de Alagoa, Queijo Cruzília, de Cruzília e Rancho das Vertentes (Névoa Tronco de Pirâmide), de Barbacena.

 

Alexandre Honorato, produtor do Mineirinho de Araxá, alerta para a importância da segurança alimentar: “Muitos produtores acreditam ser difícil se enquadrar na legislação de produção, mas acredito que vale muito a pena. Receber a medalha de ouro num concurso dessa magnitude é muita emoção. Só faz chancelar um trabalho que vem sendo desenvolvido há 30 anos. Mostra que estou no caminho certo”.

 

O Mondial du Fromage é realizado de dois em dois anos. A premiação leva em consideração a qualidade dos queijos e pode ter diversos medalhistas recebendo a mesma premiação, já que a colocação é determinada pela qualidade de cada queijo em si. (...)

Gastronomia Mineira

 

A gastronomia é a principal imagem de Minas Gerais para 29% dos turistas que visitam o Estado, de acordo com a Pesquisa de Demanda realizada pela Secretaria de Cultura e Turismo - Secult-MG. A alta qualidade dos produtos, as variadas opções de festivais e roteiros gastronômicos, além dos muitos locais de visita à produção colocam o Estado em destaque no cenário nacional do turismo gastronômico.

 

O queijo artesanal é, sem dúvida, entre os produtos típicos mineiros, o mais famoso no resto do país. Com sabor singular e receitas exclusivas de 200 anos, a iguaria produzida na região da Canastra é registrada como Patrimônio Cultural e Imaterial Brasileiro pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) desde 2008.

 

As cidades que compõem a Serra da Canastra possuem muitos atrativos que valem a pena visitar, como o Parque Nacional da Serra da Canastra, a nascente do rio São Francisco, cachoeiras, pequenos povoados e fazendas premiadas. Em muitas delas é possível conhecer a forma de produção dos queijos artesanais e a história de cada família produtora.

 

A Superintende de Gastronomia e Marketing Turístico da Secult, Marina Simião, ressalta a importância da gastronomia para o turismo em Minas. “Trabalhar a gastronomia é promover a diversificação da oferta turística, o que contribui para a inclusão de novos atores na cadeia produtiva do turismo, além de ampliar o fluxo de turistas para o Estado. Promover políticas públicas que contribuam para isso é uma necessidade do setor e um dos desafios desta Secretaria”.

 

1º Mundial do Queijo do Brasil

 

A tradição queijeira de Minas Gerais é uma das mais antigas do país, graças aos colonizadores portugueses, que ensinaram seus métodos de produção no século 18. Atualmente, é o Estado que mais produz – e consome – queijos, 70 mil toneladas por ano. Sete microrregiões produtoras são oficialmente reconhecidas e merecem destaque: Serra do Salitre, Serro, Campo das Vertentes, São Roque de Minas, Cerrado, Triângulo Mineiro e Araxá.

 

Esta última será palco do 1º Mundial do Queijo do Brasil, nos dias 9 e 10/8. No evento, realizado pela SerTãoBras, com apoio da Guilde Internationale des Fromagers e da Aqmara – Associação dos Produtores do Queijo Araxá, estarão presentes produtos nacionais e estrangeiros.

 

Segundo a organização, está prevista a visita de uma comitiva da Guilde des Fromagers, dirigida pelo queijeiro francês Roland Barthélemy, que também é presidente do Mondial du Fromage et des Produits Laitiers. Os queijos serão avaliados por um corpo de jurados especialistas do setor gastronômico, de diversos países.

 

Para a diretora de Relações públicas da SerTãoBras, Denise Barros, o evento irá fortalecer a cultura queijeira de Araxá, de Minas Gerais e de todo Brasil. “Queremos promover a interação entre queijeiros de todo o mundo e divulgar os produtores de queijo de excelência brasileiros, aumentando sua visibilidade no mercado nacional”.

 

 

SETUR|
Rodovia Papa João Paulo II, 4.001  – Prédio Gerais,11º Andar - Bairro Serra Verde,CEP: 31.630-901 - BH, MG -
Telefones de contato
Todos os direitos reservados - Aspectos legais e responsabilidades